setembro 21, 2007

Amo devagar os amigos que são tristes com cinco dedos de cada
lado.
Os amigos que enlouquecem e estão sentados, fechando os olhos,
com os livros atrás a arder para toda a eternidade.
Não os chamo, e eles voltam-se profundamente
dentro do fogo.
-Temos um talento doloroso e obscuro.
construímos um lugar de silêncio.
De paixão.

Herberto Hélder

1 comentário:

luali disse...

ohhh linda... cá para os leigos da poesia... que mensagem é esta? num consigo perceber e já li umas 3 vezes! sorry *